Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Abril 2017 nº62 Ano XV
Opinião
Ruralidade nos dias de hoje
InesMartins.JPG

Por definição, o termo ruralidade refere-se a "qualidade do que é rural, campestre, agrícola; conjunto de características e valores do mundo rural". De uma forma geral, nunca como agora este conceito foi tão dignificado e valorizado, começando a ser entendido de uma outra maneira. Na verdade, está na moda.

Nas cidades, assiste-se ao fenómeno do surgimento de espaços (tasquinhas, mercearias...) que promovem o tradicional, numa lógica "rustic chic" que valoriza a essência da ruralidade que alicerça o património cultural português.A nossa identidade coletiva é definida por uma cultura de valores regionais que todos trazemos na nossa matriz genética. Hoje, ao contrário de antigamente, graças a muito bons exemplos que têm apostado numa ruralidade com qualidade, acompanhada de estratégias de marketing bem pensadas, existe um orgulho e um sentimento de pertença aos vários territórios, assim como uma forte aposta na promoção dos seus produtos locais.

Cada vez mais se entende que "o que é nacional é bom" e então se vier do Interior, será certamente autêntico e genuíno. Este é um tempo de oportunidades para cada uma das regiões. Temos um país com uma diversidade e uma especificidade extraordinárias que estão a atrair vários segmentos turísticos a nível nacional e internacional. O Interior está finalmente a conquistar o seu espaço e a assumir o seu papel na definição da nacionalidade do povo português.

O rústico não tem de ser descaracterizado, nem tão pouco caricaturado. A ideia do saloio, do campónio, do bimbo e do parolo, até agora, só prejudicaram e ostracizaram o mundo rural. A ruralidade é muito mais do que isso. É a alma de um povo. É a essência de uma nação. Defendamos o que é nosso. Hoje, como nunca, a palavra de ordem é Valorizar.

Enviar por E-mail

(* campos de introdução obrigatória)
Inês Martins | Engenheira Agrónoma