Newsletter
Subscreva a nossa newsletter

Newsletter

FacebookTwitter
Jornal do Concelho de Oleiros | Directora: Daniela Silva | Periodicidade: Trimestral | Abril 2017 nº62 Ano XV
Oleiros faz história

oleiros-net copy.jpgA Associação Recreativa e Cultural de Oleiros fez história, no passado domingo, ao conquistar a manutenção no campeonato nacional de futebol (sénior). A equipa do Pinhal recebeu e venceu o Vilafranquense, por 2-1. O encontro foi de emoções e foi o último para o treinador Paulo Machado e para o capitão David Facucho.

Estádio Municipal de Oleiros.
Árbitro: Albano Correia, de Braga.
ARC Oleiros: Caio; Fábio André, Facucho (cap.), Tiago Gomes, Bruno Cardoso, Lenadro (Rafael, aos 85'), Liu, Rui Daniel, Luz (Nilson, aos 62'), Diego (Marco Farinha, aos 74') e Jackson.
Treinador: Paulo Machado.
Vilafranquense: Emanuel; Júlio César (Izata, aos 45'), Charles, Fábio Freire, Bruno Fernandes, Figo, Barbosa (Marocas, aos 68'), David, José Lúcio, Miguel Lourenço e Bernardo.
Treinador: Filipe Coelho.
Golos de Diego aos 17' e 43', para o Oleiros; e José Lúcio, aos 86' para o Vilafranquense.
Disciplina: cartão amarelo para Jackson.
A equipa do Oleiros entrou determinada a fazer história e consegui-o. Logo aos 17 minutos, Diego colocou justiça no marcador, ao apontar o primeiro golo. A equipa da casa dominou, sempre, o seu adversário e mesmo não praticando um futebol bonito foi criando perigo junto da baliza contrária.
A supermacia da ARCO foi reforçada aos 43 minutos, quando Diego fez o golo da tarde, rematando forte e colocado, já dentro da área, depois de ultrapassar dois adversários.
IMG_4669-net copy.jpgO resultado ao intervalo justificava-se. No segundo tempo, o Oleiros continuou a ser a equipa mais perigosa, e o Vilafraquense só a partir dos 68 minutos, com a entrada de Marocas começou a criar mais perigo junto da baliza de Caio. 
O Oleiros recuou e acabaria por sofrer o golo, aos 86 minutos.
Os últimos instantes da partida foram sofridos, mas a ARCO conseguiu segurar a vitória e assim fazer história junto do muito público presente nas bancadas.
O encontro terminou em festa e com a despedida de dois dos obreiros deste feito: O treinador Paulo Machado anunciou que não iria continuar, pois considerou estar encerrado um ciclo (subiu a equipa no ano passado, venceu a Taça de Honra - a primeira do clube, e alcançou a manutenção); e David Facucho, o capitão de equipa, líder dentro do campo, que pôs um ponto final na sua carreira de futebolista.

Enviar por E-mail

(* campos de introdução obrigatória)
Francisco Carrega